Candidato pela Europa

Naturalidade

São Jorge de Arroios

Local de Residência

Florença

Nacionalidade

Portuguesa

Profissão

Doutorando

Apresentação Pessoal

O meu nome é Francisco de Abreu Duarte e sou candidato às primárias do Livre pelo círculo Europa. Defendo uma visão multicultural e globalista do futuro de Portugal e da Europa, assente em dois pilares fundamentais: a proteção dos direitos fundamentais individuais e a responsabilidade coletiva pela proteção do nosso futuro comum.
Tenho alternado a minha vida profissional entre a Universidade, enquanto académico nas áreas do Direito Internacional e Direito da União Europeia, e a assessoria jurídica em organizações internacionais como as Nações Unidas ou o Parlamento Europeu.

Apresentação de candidatura

Apresento-me às primárias do LIVRE com a convicção de que posso ser uma voz relevante para a definição da política Europeia em Portugal. Esta candidatura traduz uma ideia europeísta e ecologista do futuro que quero para Portugal, para o qual pretendo contribuir com a minha própria experiência profissional e pessoal nestes anos passados no estrangeiro.
O LIVRE defende os valores fundamentais daquilo que acredito ser o único futuro possível para uma sociedade política global e multicultural. Por um lado, o respeito inegociável pelas liberdades fundamentais e pelo Estado de Direito; por outro, a assunção das nossas responsabilidades coletivas em matéria de ambiente e sustentabilidade. Não acredito que seja possível continuarmos a discutir uma sociedade que não assente nestes dois valores e creio poder contribuir para uma discussão séria sobre o rumo da política portuguesa para este efeito.
Existem duas razões para as quais me parece ser importante ter uma candidatura como a minha pelo círculo Europa.
A primeira razão prende-se com a minha experiência profissional enquanto académico e assessor em organizações internacionais. Nos últimos cinco anos tenho tido uma experiência em primeira mão da multiplicidade de visões existentes sobre o futuro da Europa. Estou bem ciente das dificuldades que temos enfrentando e das divergências que existem entre os diferentes povos da Europa. Quer no Parlamento Europeu, quer no Instituto Universitário Europeu, estou hoje ciente dos debates de futuro que assolam a União Europeia. No entanto, nestes anos passados no estrangeiro, vi também os pontos de contacto e uma visão comum dos desafios que devemos enfrentar. Ficou-me muito clara a imagem de que, independentemente das visões e ideologias políticas, há uma vontade genuína das gerações mais novas defenderem um bem comum sustentável. Creio que esta candidatura poderá dar voz a essas ideias.
A segunda razão diz respeito à minha visão individual da Europa e do seu papel essencial para o desenvolvimento de Portugal. Como europeísta convicto, não consigo imaginar um futuro para o nosso país que não envolva diretamente um futuro conjunto Europeu. Se queremos ter uma voz nas discussões globais para moldarmos um futuro conjunto em matérias como o Ambiente, Tecnologia ou Direitos Fundamentais, não podemos abandonar o projeto Europeu. Ciente dos desafios que a própria União Europeia encerra, esta candidatura apresentará uma visão de reforma – não de rutura – com o projeto Europeu.