Candidatos às primárias dos Açores

Terminou no dia 21 de junho, às 23:59 a fase de votação para ordenação dos candidatos nas primárias para escolha dos candidatos do LIVRE às regionais dos Açores.

A ordenação dos candidatos foi a seguinte:

  1. José Manuel Azevedo: 683,37
  2. Florbela Carmo: 448,59
  3. Fernanda Carvalho: 319,19
  4. Diamantino Henriques: 261,45
  5. Nuno Rolo: 203,38
  6. Ruben Nunes: 108,74
  7. Sérgio Moniz: 93,76

Conhece abaixo os candidatos!

José Azevedo

Naturalidade: Nampula, Moçambique
Local de Residência: Ponta Delgada
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Docente

Apresentação Pessoal:
Tenho 58 anos, sou casado e tenho dois filhos, com 22 e 19 anos.
Nasci em Moçambique e passei por Angola e pela Guiné-Bissau, tudo antes de 1973, seguindo um pai militar. Estudei em Lisboa mas apaixonei-me pelos Açores em 1984. Por isso vivo em São Miguel há 33 anos, mais de metade da minha vida.
Sou biólogo e docente na Universidade dos Açores, tendo interesses de investigação na biologia e ecologia de peixes e cetáceos.
O meu interesse de jovem pelos animais transformou-se em conhecimento técnico com o curso. Participei em muitos estudos de impacte ambiental e gradualmente fui tomando consciência das suas limitações. Mas foi só com a crise de 2008 que tomei consciência de que quem estava ao leme do país e da UE não tinha como valor supremo o bem público. Começou aí uma caminhada de conscencialização política na qual o LIVRE teve um papel decisivo: sou membro desde o Congresso Fundador em 2014, passei pela Assembleia e pelo Grupo de Contacto. Já fui candidato ao Parlamento Europeu, à Assembleia Legislativa Regional e até à Câmara Municipal de Ponta Delgada. Esta exposição foi a minha forma de confrontar os limites dos meus conhecimentos e de os procurar expandir, conversando com camaradas e adversários, lendo muito e refletindo sobre tudo.
Estou muito preocupado com o estado do planeta e com as gritantes injustiças planetárias, mas também com o rumo da sociedade açoriana neste contexto global. Sinto a responsabilidade de dar o meu contributo para mudar o que está mal, e de juntar as minhas forças aos que trabalham para construir um mundo melhor.

Redes sociais: www.facebook.com/joseazevedopoliteia

Apresentação de Candidatura:
Nestes pouco mais de 5 anos de atividade política num pequeno partido de esquerda compreendi que, quando se tem como objetivo mudar a realidade, é importante ter uma teoria da mudança e uma narrativa política. Neste momento a minha narrativa é a de que o capitalismo (um sistema económico e político baseado na ganância e na competição) é a causa do gravíssimos problemas que hoje enfrentamos à escala global, tanto na esfera ambiental como social. Não é mais possível acreditar que se pode reformar ou regular o capitalismo – essa ideologia tem que ser substituída. Em seu lugar temos que colocar um sistema baseado na cooperação e na solidariedade, um sistema em que a economia existe para servir o bem estar humano, e não o contrário. Eu chamo a esse sistema socialismo libertário: socialismo porque baseado na gestão em comum dos meios de produção; libertário por querer uma democracia radical na forma como é feita essa gestão. A minha teoria da mudança é a de que temos que reforçar todas as bolsas de cooperação e solidariedade que já existem na nossa sociedade (como as entidades da economia social, as associações, os sindicatos). Aos poucos as pessoas e as instituições têm que (re)aprender a trabalhar em conjunto e não uns contra os outros. Uma das formas de substituir o capitalismo pelo socialismo libertário é conquistar poder político para (1) fortalecer e alargar as áreas não capitalistas da nossa sociedade, e para (2) reforçar os débeis mecanismos de democracia direta que já temos (petições, orçamentos participativos) e criar mecanismos de democracia deliberativa. O LIVRE dá-me a possibilidade de pôr estas ideias à vossa consideração. Se mo permitirem, trabalharei convosco para as integrar num programa político comum.

Ordem da candidatura
1-     São Miguel
2-     Pico
3-     Flores
4-     Santa Maria
5-     Terceira
6-     Faial
7-     São Jorge
8-     Corvo
9-     Graciosa

Florbela Carmo

Naturalidade: Lamego
Local de Residência: São Miguel – Ponta Delgada
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Secretária

Apresentação Pessoal:
Nasci em Lamego, onde vivi e cresci até entrar no ensino superior. Estudei em Leiria, trabalhei em Guimarães e moro nos Açores desde 2002, onde trabalho como Secretária num escritório de advogados. Fui professora numa escola profissional, consultora para PMEs e dei formação a activos, em contexto real de trabalho e pós laboral.
Estou no LIVRE e com o LIVRE desde a sua fundação, por ser o único partido cujos princípios são os de uma verdadeira esquerda democrática – uma esquerda europeísta, ecológica, que defende a liberdade, a igualdade, os direitos humanos, a participação de todos os cidadão na vida política.
Neste momento sou Coordenadora da Comissão de Ética e Arbitragem do Conselho de Jurisdição. Integrei o Grupo de Contacto nos últimos dois mandatos e foi membro do Grupo de Coordenação Local do Núcleo Territorial dos Açores de 2016 a Janeiro de 2020. Fui candidata nas Eleições Legislativas em 2015 e em 2019 pelo círculo dos Açores, e integrei a lista à Câmara Municipal de Ponta Delgada, para as Eleições Autárquicas de 2017.

Apresentação de Candidatura:
Porque é que me candidato às primárias do LIVRE para as eleições Regionais dos Açores?
Por obrigação.Os Açores precisam, urgentemente, de uma nova estratégia para combater os níveis de pobreza, para que esta deixe de ser a 2ª região do país com maior desigualdade no acesso aos recursos e às oportunidades e a 3ª mais pobre.
Os Açores podem ser a região portuguesa na vanguarda do uso de energia 100% renovável para toda a população.
Os Açores podem ser os pioneiros, a nível nacional, da maior e mais abrangente democratização nas decisões políticas.
Se queremos alterar o paradigma da governação regional, não basta dizer o que está errado. É preciso fazer parte da transformação; apresentar alternativas.Temos que repensar o modelo de desenvolvimento, para que este passe a ter na sua base a sustentabilidade ambiental, a justiça social, o envolvimento dos cidadãos nas decisões, e dê a oportunidade a todos de, em conjunto, deliberarem sobre os assuntos que lhes tocam directamente.É esta a obrigação que sinto e que me leva a apresentar esta candidatura.A obrigação de ter uma participação activa, por saber que é possível uma economia de cooperação e solidariedade, apoiada por uma moeda local; que é possível dotar todas as famílias de uma habitação sismicamente segura e termicamente confortável; que é possível um sistema político, apoiado por assembleias de cidadãos.
É no LIVRE que eu reconheço a capacidade de transportar os Açores para um patamar em que estas mudanças passem a integrar o quotidiano de todos e é com o LIVRE que quero participar nesse novo modo de fazer política.

Ordem da candidatura
1-     São Miguel
2-     São Jorge
3-     Santa Maria
4-     Pico
5-     Terceira
6-     Graciosa
7-     Flores
8-     Faial
9-     Corvo

Fernanda Carvalho

Naturalidade: Ílhavo
Local de Residência: Ponta Delgada
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Meteorologista

Apresentação Pessoal:
Casada e mãe de duas filhas, nasceu a 26/Mar/1963 em Ílhavo. Em 1971 foi viver para Lisboa, onde permaneceu até completar o ensino secundário. Em 1981 regressou às suas raízes em Ílhavo para ingressar na Universidade de Aveiro, onde completou a Licenciatura em Física. Em 1986, recebe um convite para ingressar nos projetos de investigação científica do INMG/JNICT no âmbito do Estudo da Camada de Ozono e do Dióxido de Carbono da Atmosfera, permanecendo como bolseira até 1992.
Em julho de 1992 ingressou no quadro do INMG como meteorologista. Conclui o Mestrado em Ciências Geofísicas-Meteorologia na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em 1996. Foi Coordenadora da Comissão de Trabalhadores do Instituto de Meteorologia, no período 1997-1998. Foi delegada Sindical do STE no período 2000-2010. Desenvolveu intensa vida profissional especialmente na área da radiação solar, tendo participado em diversos projectos internacionais e europeus de investigação e sendo autora de diversos artigos científicos. Coordenou a implementação do programa de Previsão do IUV em Portugal, que teve início em 1999. Foi representante de Portugal nas comissões internacionais técnicas da Organização Meteorológica Mundial da Radiação Solar, Aerossol Atmosférico e do programa Global Atmosphere Watch. Entre 2000 e 2002 foi secretária da Sociedade Portuguesa de Proteção Contra Radiações. Em 2003 foi colocada na Delegação Regional do Instituto de Meteorologia nos Açores. Colabora frequentemente como formadora nos domínios da meteorologia e da climatologia na Universidade dos Açores, assim como em projectos de investigação e desenvolvimento. Desempenhou naquela Delegação Regional funções no Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera do qual foi coordenadora de 2013 a 2019. Foi apresentadora de meteorologia na RTP-Açores de 2013 a 2019. Atualmente desenvolvendo atividade na área da climatologia, radiação solar e composição da atmosfera no Departamento de Meteorologia e Geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. É autora de diversas publicações científicas nacionais e internacionais de referência.
Apoia o Livre desde a sua formação, sendo membro desde 2015.
Foi mandatária da lista do L/TDA candidata pelo círculo dos Açores às eleições legislativas nacionais de 2015; foi candidata às autárquicas de 2017 (Ponta Delgada) e legislativas de 2019.

Apresentação de Candidatura:
É tempo de Renovar os Açores.
É tempo de fazer uma Escolha Política.
É tempo de evidenciar um Projecto de Mudança.
Um projecto respeitador da Preservação de Recursos, da Biodiversidade e do Ambiente:
…adopção das agendas da economia do mar e economia verde
…gestão pública da água e resíduos, dentro os conceitos de economia circular e lixo-zero
Um projecto apoiado no Desenvolvimento Económico Sustentável:
…introdução de moeda local
…incentivo ao cooperativismo
Um projecto para a Igualdade e Cidadania Plena:
…introdução de mecanismos visando a participação cidadã nas decisões políticas
…adaptação de todos os documentos oficiais emitidos pela Região de forma a não discriminarem qualquer tipo de realidade parental
…apoio aos imigrantes individualmente ou através das suas associações representativas na região, promovendo a sua integração social e no mercado de trabalho
Um projecto que promova a Serviço Regional de Saúde:
…contratação de pessoal das carreiras ligadas à saúde
…reforço na prestação de cuidados de especialidade
…reforço dos atuais programas de rastreio
Um projeto para o Ensino Público:
…renovar fisicamente e equipar digitalmente as escolas publicas
…introduzir a formação musical a partir do ensino básico
…garantir programas de refeições e transporte escolar ao longo do ano
Um projecto para o Emprego e a Formação Profissional.
…incentivos à formação de cooperativas de produção local
…desenvolvimento e aplicação de novas metodologias de produção
…aposta em tecnologias digitais
Um projecto para a Investigação e Desenvolvimento
…aumento efectivo do financiamento regional à I&D
…criação de um programa regional de apoio ao ingresso na carreira de investigação
…por fim à precariedade dos bolseiros de investigação na região
Um projecto de Cultura Promovendo as Artes e o Património:
…apoiar projectos e parcerias na promoção das artes na vida pública e nas escolas
…consolidar um apoio efectivo às filarmónicas
…garantir o direito de acesso aos equipamentos da cultura e património, recorrendo a políticas de redução dos custos e gratuidade
Um projecto que Redesenhe Cidades e Vilas:
…habitação de custo controlado permitindo a fixação dos jovens no seu centro
…utilização de energias renováveis em todos os edifícios públicos
…estimular o comércio tradicional
Um projeto para a Mobilidade Suave:
…vias pedonais e ciclovias permitindo a deslocação em contexto de trabalho ou lazer
…transporte público gratuito para residentes
…acessos apropriados para pessoas portadoras de alguma deficiência em todos os edifícios e espaços públicos
Um projecto que Apoia os Cidadão e as Cidadãs:
…criação do RBI
…garantir o ensino pré-escolar e ATL
…garantir o apoio digno, domiciliário e institucional, aos mais idosos e aos portadores de enfermidade ou deficiência que assim o exijaNão serão muitas coisas; mas serão certamente Coisas Importantes pelas quais me Proponho Trabalhar!

Ordem da candidatura
1-     São Miguel
2-     Graciosa
3-     Faial
4-     Flores
5-     Pico
6-     São Jorge
7-     Santa Maria
8-     Terceira
9-     Corvo

Diamantino Henriques

Naturalidade: Caracas (Venezuela)
Local de Residência: Ponta Delgada
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Meteorologista

Apresentação Pessoal:
Casado e pai de duas filhas, filho de emigrantes portugueses na Venezuela, nasceu na cidade de Caracas em 1962, onde viveu até aos 14 anos de idade. Em 1986, completou a Licenciatura em Física pela Universidade de Aveiro, tendo ingressado no ano seguinte no quadro de meteorologistas do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica. Especializou-se no tema do ozono atmosférico, tendo participado em vários projetos nacionais e internacionais e publicado vários trabalhos em revistas de referência sobre esta temática. Em 1996 completou o Mestrado em Ciências Geofísicas – Meteorologia, pela Universidade de Lisboa. Representou Portugal em várias comissões internacionais no domínio da composição da atmosfera e foi formador em vários cursos para pessoal de meteorologia. Em 2003, foi colocado na Delegação Regional do Instituto de Meteorologia em Ponta Delgada, onde exerceu funções como meteorologista, previsor e apresentador do espaço de meteorologia na RTP – Açores. Desde 2008 foi Delegado Regional dos Açores no Instituto de Meteorologia e mais tarde no Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Atualmente é Técnico Superior no IPMA, onde exerce funções como meteorologista.

Apresentação de Candidatura:
A actual crise pandémica do COVID-19 revelou a fragilidade do modelo económico atual, especialmente na Região Autónoma dos Açores, onde o setor terciário (turismo, restauração, etc) cresceu desproporcionalmente e insustentável na última década relativamente aos setores secundário (construção civil, indústria têxtil, etc) e primário (agricultura, pescas), verificando-se por isso um colapso da economia regional, agravada pelo cenário de recessão à escala global. Esta situação sem precedentes constitui também uma oportunidade de mudança de paradigma no sentido de um “novo normal” melhor do que o anterior.
Infelizmente, pandemias sempre existiram e existirão, mas o ser humano tem sido especialmente resiliente. No entanto, é necessário tomar algumas medidas para reforçar os sectores primário e secundário de forma sustentada e ao mesmo tempo salvar o sector terciário para que o impacto destes eventos não volte a ser tão negativo na economia e na vida das pessoas. Na verdade essas medidas são também aquelas que contribuem para o combate às alterações climáticas: produzir e consumir local, reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa com origem nas exportações e importações, facilitar o teletrabalho e promover as videoconferências, reduzindo as emissões de poluentes devidas ao transporte de pessoas.
Desde a sua criação, o Livre tem o ambiente no cerne da sua Declaração de Princípios, defendendo um verdadeiro Novo Pacto Verde e promovendo a inclusão e a participação ativa dos cidadãos nas suas decisões. É isso que me atrai no Livre. E é essa a principal diferença do Livre relativamente aos outros partidos e é por isso que me tornei membro.
O futuro das próximas gerações está nas decisões que a nossa geração tomar.

Ordem da candidatura
1-     São Miguel
2-     Terceira
3-     Faial
4-     Santa Maria
5-     Pico
6-     Graciosa
7-     Flores
8-     São Jorge
9-     Corvo

Nuno Rolo

Naturalidade: São Sebastião da Pedreira
Local de Residência: Praia da Vitória
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Programador Informático

Apresentação Pessoal:
Nasci em Lisboa em 1981, vivi no concelho do Seixal com os meus pais até 2004 altura em que fui viver para o concelho do Barreiro.
Sempre tive interesse e gostos em diversas áreas e muitas delas bem diferentes e por isso a chegada ao 12º ano e ter de pensar no que fazer a seguir foi uma verdadeira dor de cabeça. Universidade era algo que na minha altura os pais insistiam constantemente e faziam os sacrifícios para que tivéssemos mais estudos e consequentemente mais e melhores oportunidades, mas para mim não só era complicado escolher um curso, pois iria ditar os próximos anos da minha vida, como também não queria sobrecarregar os meus pais com mais uns anos de encargos escolares desta vez bem mais pesados.
Numa altura em que ainda existia Serviço Militar Obrigatório, embora fosse fácil escapar ao mesmo, optei por me voluntariar e aí frequentar o Curso de Formação de Oficiais. Durante 10 anos fui militar do Exército Português, tendo entrado apenas com 18 anos, foi sem dúvida uma experiência muito marcante na vida e das que mais me moldou e fez crescer. Foi ainda no Exército que encontrei o curso universitário que se encaixava não só nos meus gostos e curiosidades, como também poderia permitir ligar todos os outros interesses e gostos mais improváveis de relacionar.
Entrei em Engenharia Informática, mas devido a várias circunstâncias da vida e embora esteja a trabalhar na área desde 2011, é um curso que ainda se encontra em fase de conclusão.
Como referido trabalho na área da Informática desde 2011, comecei como programador essencialmente a desenvolver aplicações WEB e ao longo deste tempo já geri equipas de desenvolvimento e projetos.
No final de 2018 no âmbito do Projeto Terceira Tech Island a empresa onde trabalho abriu um novo escritório na Praia da Vitória, na Terceira e é desde essa data que me mudei de malas e bagagens para a Terceira.

Redes sociais: www.facebook.com/nuno.rolo.7    |    twitter.com/rolo_nuno

Apresentação de Candidatura:
Há já alguns anos que procuro acompanhar e entender muitas das decisões que vão sendo noticiadas e quais os impactos das mesmas, várias vezes ponderei a entrada num partido politico até que tive conhecimento do LIVRE e embora estivesse no seu início, pela primeira vez senti que não só muitas das minhas ideias se reviam nas do partido mas o mais importante a forma como pretendiam fazer politica, diferente, mais próxima dos cidadãos.
A desilusão e desconfiança na politica e nos partidos é um denominador comum entre os mais variados setores e regiões da sociedade portuguesa e nos Açores não é excepção, o que tem levado a valores de abstenção demasiado altos, prova disso é o valor recorde das últimas regionais, quase 60%.
Com estes níveis de abstenção não consigo acreditar que a atual constituição da Assembleia Regional seja realmente representativa de todos os Açorianos. Sempre tem sido minha intenção participar e contribuir para o local onde vivo, e embora viva nos Açores há pouco tempo, rapidamente me apercebi das suas vantagens e potencialidades e como tal não posso ficar indiferente, tenho de participar.
Assim apresento a minha candidatura a estas eleições com os seguintes propósitos em mente:
– promover a igualdade;
– promover a justiça social;
– promover a solidariedade e o cooperativismo;
– promover uma economia sustentável;
– promover a consciência politica cidadã;Acredito que só com transparência e uma participação cívica alargada é possível ultrapassar as dificuldades e as atuais desigualdades existentes nos Açores e no mundo.

Ordem da candidatura
1-     Terceira
2-     Faial
3-     Graciosa
4-     São Jorge
5-     Pico
6-     Corvo
7-     Flores
8-     Santa Maria
9-     São Miguel

Rúben Nunes

Naturalidade: Praia da Vitória
Local de Residência: Praia da Vitória
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Programador

Apresentação Pessoal:
Olá.
Sou o Rúben Nunes, 35 anos, nascido e criado nos Açores, mais precisamente na Praia da Vitória, Ilha Terceira.
Sou casado, e terei uma filha ainda este ano, mais uma Açoriana.
Já tive experiências em Lisboa e no estrangeiro de vários anos, e decidi regressar à Terceira, pois é aqui que quero viver, e se puder fazer a diferença com o meu contributo, fá-lo-ei sem hesitar.
Neste momento trabalho como programador na Praia da Vitória.
É a primeira vez que me candidato a algo do género, portanto é toda uma nova experiência, algo que me cativa e motiva.
Sou uma pessoa dedicada, leal e adaptável aos ambientes e circunstâncias.
Obrigado.
Rúben Nunes.

Apresentação de Candidatura:
A minha motivação é ser uma voz e força ativa na defesa dos melhores interesses dos Açores.
É a primeira vez que me candidato a algo assim, e acho muito bem e é de louvar, que sejam os cidadãos a escolher os candidatos.
Também me identifico com os princípios do LIVRE, e acho que são as bases para um melhor país.
Para terminar, creio que a minha experiência de vida, o meu amor pelos Açores, e a identificação com o LIVRE, fazem de mim um óptimo candidato.
Rúben Nunes.

Ordem da candidatura
1-     Terceira
2-     Pico
3-     São Jorge
4-     Graciosa
5-     São Miguel
6-     Santa Maria
7-     Faial
8-     Flores
9-     Corvo

Sérgio Moniz

Naturalidade: São José
Local de Residência: Ponta Delgada
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Operador logística

Apresentação Pessoal:
Chamo-me Sérgio Moniz, nasci nos Açores, na Ilha de São Miguel. Tenho dois filhos.
Tenho o curso de tecnico de Condução de obras nivel V, pela Universidade dos Açores.
Fiz carreira militar como praça no RG2, durante aproximadamente 6 anos e 4 meses, onde durante o ano de 2005, ingressei numa missão de paz para o kosovo.
Gosto das nossas romarias quaresmais, onde também participei em algumas.
Actualmente trabalho numa empresa ligada à área da saúde.
Tenho orgulho em ser açoreano.

Apresentação de Candidatura:

. Apoiar o desenvolvimento dos produtos regionais, de forma a obter a expansão dos mesmos, no nosso mercado regional, nacional e europeu.

. Elevar os orçamentos participativos a um maior leque de variedades com maiores necessidades da população.

. Limitar as frotas de viaturas de aluguer, de forma a reduzir a poluição ambiental e a sobrelotação dos parques de estacionamento vias públicas e parques naturais.

. Promover o turismo ambiental, através de apoio a empresas que criem programas de visitas colectivas turisticas, com apoio de guias turísticos.

. Maior fiscalização e criação de regras no que respeita a turismo em trilhos da natureza terreste e maritima de forma a garantir a segurança e conservação da nossa flora e fauna.

. Combater a desigualdade social.

. Levar a voz, ideias, opiniões e problemas do povo Açoreano até á Assembleia do Governo Regional.

. Promover os Açores na comunidade Europeia.

Ordem da candidatura
1-     São Miguel
2-     Terceira
3-     Santa Maria
4-     São Jorge
5-     Graciosa
6-     Pico
7-     Flores
8-     Faial
9-     Corvo

Revê o debate final do processo de primárias, ocorrido a 19 de junho, entre todos os candidatos!

COMO FUNCIONAM AS PRIMÁRIAS DO LIVRE?

O LIVRE quer democratizar e abrir a política aos cidadãos. Por isso fazemos eleições primárias para selecionar as pessoas que irão representar o partido e defender os seus princípios e propostas nas eleições.
Se concordares com os princípios e objetivos políticos do LIVRE, podes inscrever-te para votar e eleger os nossos candidatos e podes ser candidato ou candidata.
Ao recorrermos a processos originais, mais abertos e pouco replicados por outros partidos, estamos sempre a repensá-los e a aperfeiçoá-los por forma a que cada processo de primárias corra melhor que o anterior, melhor concretizando os nossos objectivos de representação, democratização e abertura. Estamos em constante aprendizagem e, por isso, também nestas primárias para a escolha dos candidatos a deputados regionais foram inseridomelhoramentos no processo.

AVALIZAÇÕES
Nesta fase os Membros e Apoiantes do LIVRE atribuem avais às candidaturas que querem apoiar. Poderás apresentar a tua candidatura aos Membros e Apoiantes e participar no primeiro debate de apresentação dos candidatos. Apenas passarão à fase seguinte as candidaturas se consigam 10 avais, devendo pelo menos 5 ser atribuídos por Membros do LIVRE.

CAMPANHA ELEITORAL DOS CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES PRIMÁRIAS
Os candidatos às eleições primárias podem fazer campanha e apelar ao voto entre as 00:00h do 9 de Junho 12 de Junho e as 23:59h de 19 de Junho. Será organizado um segundo debate no dia 19 de Junho entre os candidatos que passarem a Fase de Avalizações.

VOTAÇÃO NOS CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES PRIMÁRIAS
A votação é feita eletronicamente, no site do LIVRE, nos dias 20 e 21 de junho, pelos Membros e Apoiantes do LIVRE, os candidatos e todos os que se inscreverem para votar.
Todos os candidatos, independentemente da ilha pela qual se candidatam, serão ordenados na mesma lista, numa ordenação entre 1 e 10, sendo 1 que corresponde à maior preferência e 10 à menor. O resultado final resultará na lista do círculo de compensação regional, sendo os candidatos ordenados nos círculos eleitorais assinalados no formulário de candidatura.

Calendário das Eleições Primárias

23 Maio a 11 de Junho: Envio de candidaturas e prazo para inscrições para votar (apenas para quem não está registado como membro ou apoiante do LIVRE)

13 de Junho: Primeiro debate/apresentação dos candidatos antes dos avais

14 a 16 de Junho: Fase de Avalização

19 de Junho: Segundo debate entre os candidatos avalizados

20 e 21 Junho: Eleições Primárias

 

A Eleição da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores está prevista para Setembro/Outubro, devendo a respectiva data ser fixada em breve.

Comissão Eleitoral

O processo de primárias é dirigido por uma Comissão Eleitoral independente, composta pelos seguintes membros do LIVRE: Adriano Barrias, Inês Cisneiros, Luísa Álvares, Paulo Muacho e Sofia Lourenço.

Para qualquer questão relacionada com o processo de primárias por favor contacta comissao.eleitoral@partidolivre.pt

A democracia precisa de ti

Convocatória para as primárias abertas às eleições para deputados à Assembleia Regional dos
Açores – 2020

Cara concidadã, caro concidadão,

No LIVRE acreditamos que devem ser os cidadãos a escolher os seus candidatos ao Parlamento, em vez de estes serem escolhidos pela direção do partido. Acreditamos que devolver o poder aos cidadãos é a única forma de resolver os múltiplos problemas com que nos defrontamos, da calamidade planetária às crises de saúde pública.

Por isso abrimos de novo um processo de eleições primárias para a escolha dos candidatos do LIVRE à Assembleia Legislativa Regional dos Açores. Qualquer cidadão na plenitude dos seus direitos e que se identifique com os ideais do LIVRE pode e deve apresentar a sua candidatura. E qualquer cidadão residente nos Açores pode participar na votação.

Informa-te sobre o processo das primárias abertas para as próximas Eleições Regionais dos Açores lendo o Regulamento de Primárias.

Para participar enquanto candidato ou candidata, deves ter capacidade eleitoral em Portugal, ser capaz de interpretar na prática o nosso programa e ajudar a levá-lo a cabo, de acordo com a Declaração de Princípios e comprometendo-te com o Código de Ética do LIVRE.

Se vives nos Açores e partilhas dos nossos ideais, podes também inscrever-te para ajudar a escolher os teus candidatos.

A democracia está à tua espera!

Açores, maio de 2020