Naturalidade

Guiné-Bissau

Local de Residência

Lisboa

Nacionalidade

Portuguesa

Profissão

Investigadora

Apresentação Pessoal

Meu nome é Joacine Elysees Katar Tavares Moreira, sou natural da Guiné-Bissau, de onde saí com 8 anos para vir viver para Portugal. Tenho 36 anos, sou uma mulher feminista interseccional e activista anti-racista, lutando pela justiça social e pelo reconhecimento dos sectores historicamente marginalizados da nossa sociedade. O meu percurso académico é multidisciplinar, com uma licenciatura em História Moderna e Contemporânea porque queria re-escrever a história da Guiné-Bissau, e a africana no geral, com os dados e as simbologia com que a ouvia ser contada pelos meus próximos, e porque na escolas havia uma enorme lacuna sobre as questões africanas, fora da história da heroicidade colonial; possuo um mestrado em Estudos do Desenvolvimento e sou doutorada em Estudos Africanos , com uma tese sobre masculinidades e violência política. Assim como uma boa parte dos doutorados vivo numa situação profissional precária, mas acredito na mudança e na capacidade que todas as pessoas têm de a poder induzir.

Apresentação de candidatura

As instituições portuguesas precisam de uma maior representatividade da comunidade negra, votada à invisibilização, à precariedade e à exploração laboral. Num ambiente de ressurgimento de ideologias vencidas e partidos racistas, misóginos e conservadores, só uma política baseada nas necessidades das consideradas minorias pode travar a crescente desigualdade, os baixos salários, a segregação habitacional e a insegurança no futuro.
Acredito que é necessária uma contra-corrente porque sentimos pela primeira vez em muito tempo que os direitos conquistados não podem ser tomados por adquiridos. Portugal faz parte deste cenário preocupante, embora aparentemente a um nível mais baixo, mas será com a acção feminista e anti-racista que podemos colocar a discussão pública no caminho da afirmação da democracia. Esta será, portanto, a base da minha participação, tendo como objectivo um país socialmente justo, mais igualitário e sempre democrático.

Petição

Retribuição Horária Mínima Garantida

Assine aqui a Petição